segunda-feira, 10 de junho de 2019

A Queda Dum Anjo, Camilo Castelo Branco



Antes de começar a falar propriamente da obra em si, devo dizer que achei a leitura deste livro um pouco complicada de entender, mas recomendo vivamente aos amantes de drama e de política a leitura do mesmo.
A Queda Dum Anjo é um romance satírico da autoria de Camilo Castelo Branco, escrito em 1866, cujo assunto predominante é a corrupção política, essencialmente a corrupção de Calisto Elói de Silos, personagem principal. Calisto, o protagonista da história, começa por ser apresentado como um simples fidalgo conservador, que representa em si o povo português. Mais tarde, Calisto foi eleito deputado. Quando isto aconteceu ele foi para Lisboa onde fica fascinado pelos altos cargos e pela luxúria que lá predominam. Calisto deixara para trás a sua esposa, e quando o luxo e ambição tomaram conta dele, ele deixou ser o "anjo" e começou um relacionamento extra-conjugal com uma prima do Brasil (Ifigénia), que veio para Portugal após o falecimento do marido.
A verdadeira "queda do anjo" deu-se quando Calisto, de posição política miguelista, se muda para o partido liberal do governo abandonando, os seus princípios e os do povo que o elegera. Passado algum tempo, a sua esposa vai à sua procura, depois de ter notado que ele se tinha transformado num amante frio e distante. Quando chegou perto dele ele já não queria saber dela e mais tarde, quando ela o procura novamente, ele está com a amante em Paris. Teodora, esposa do protagonista da obra, começa um relacionamento com um primo interesseiro, após os seus desgostos.
Assim sendo, conseguimos perceber o porquê do nome da obra: vimos ao longo do livro alguém que era bom tornar-se numa pessoa má e desprezível.

Cem poema de Sophia - Sophia de Mello Breyner Andresen






O livro que li tem como título Cem Poemas de Sophia e, como o título indica, é da autoria de Sophia de Mello Breyner Andresen. Neste livro reúnem-se cem poemas dos mais representativos da obra de Sophia, cujo principal aspecto é dar a conhecer o essencial de uma poesia que todos os portugueses devem ler e amar. 

A maioria dos poemas apresenta como tema a natureza, quer pelas referências ao mar, quer pelas referências ao campo. Acrescento também que vários são os poemas com referências a figuras mitológicas, como por exemplo, Apolo, Kassandra, Dionysos, Orpheu, Eurydice, etc... 

Gostei muito deste livro, pois Sophia é uma das minhas escritoras de eleição e a partir deste livro pude ler poemas fantásticos da sua autoria que eu desconhecia. Aconselho a leitura deste livro pois todos os poemas apresentam temas super interessantes. A linguagem do livro é super acessível, raramente tive a necessidade de recorrer ao dicionário.

Uma Família Inglesa - Júlio Dinis



 O livro que estou a ler tem como título Uma Família Inglesa e foi escrito por Júlio Dinis. A obra retrata uma família inglesa que veio para Portugal no século XIX, época marcada pelo negócio do famoso vinho do Porto. 
É no Porto que Carlos Whitestone , filho de Mr. Richard, um grande comerciante inglês, se apaixona por Cecília, uma moça bela de 18 anos, cujo pai era guarda-livros do escritório da família Whitestone. Essa paixão à primeira vista deu-se num baile de Carnaval, onde Carlos e Cecília se encontraram pela primeira vez. Sem saber quem era aquela bela moça, pois a mesma estava mascarada, Carlos conta a sua irmã Jenny o que se tinha passado naquela noite. Depois de descobrir que a apaixonada de Carlos era a sua amiga Cecília, Jenny tenta protegê-la, pois receia que esta paixão seja apenas mais uma aventura do irmão. Contudo, ao se aperceber que estava errada, acaba por ajudá-los a chegar à felicidade. 
 Estou a gostar do livro pois a paixão entre Carlos e Cecília é motivadora e deslumbrante, não sendo a típica paixão dos romances literários. 
  Acabo assim por recomendar a leitura deste livro, não se vão arrepender de lê-lo pois não é tão aborrecido como pode aparentar ser. Outra curiosidade que o livro apresenta é o facto de conter algumas expressões e vocábulos ingleses.



 

Amor de Perdição - Camilo Castelo Branco




O livro que li tem como título Amor de Perdição e é da autoria de Camilo Castelo Branco. O livro relata uma história de amor entre dois jovens cujas famílias são rivais, Simão e Teresa quer longe ou perto amaram-se sempre. Para evitar esse mesmo amor, o pai de Teresa envia-a para um convento e mete Simão na prisão, pois este tinha matado o primo de Teresa para evitar que a mesma se casasse com ele. Mesmo distantes, os enamorados comunicavam através de cartas, cartas essas completamente emotivas e comoventes.
Para finalizar, gostei muito do livro apesar de não ser grande fã de histórias amorosas. Aconselho a leitura deste livro a todos os jovens que apreciam romances finalizados tragicamente. Realço também que a linguagem do livro requer por vezes a solicitação de um dicionário.

quarta-feira, 3 de abril de 2019

A segunda vida de Francisco de Assis, de José Saramago


Resultado de imagem para a segunda vida de francisco de assis


Começo por aconselhar a leitura deste livro, pois é muito interessante pelo facto de contar a história da vida de um santo.
A segunda vida de Francisco de Assis é da autoria de José Saramago. Este livro é um texto de teatro onde se apresenta a história de um santo, Francisco de Assis.
Inicialmente, encontram-se em cena o presidente da empresa e os membros do conselho a discutir sobre o que devem ou não fazer para melhorar o gráfico. Estão "sobre a mesa" duas hipóteses: melhorar o produto ou preparar-se os agentes. Assim se entra no mundo da "política", segundo José Saramago.
Passado um tempo, Francisco de Assis, que se encontra supostamente morto, reaparece diante a sua mãe e mais tarde às restantes pessoas. À medida que o tempo passa, vai tentando destruir a companhia, pois esta estava rica e, como fundador da mesma, queria voltar a fazer o que fazia, ou seja, ajudar os pobres e não acumular riqueza.
Com esta peça, José Saramago faz mais uma crítica à Igreja Católica: a companhia de S. Fancisco de Assis é a própria Igreja, que não pratica os princípios de solidariedade e de generosidade pregados por Jesus Cristo, da mesma forma que a companhia, em vez de ajudar os pobres, enriquecera.
É de salientar que Francisco de Assis foi um frade católico da Itália. Depois de uma juventude irrequieta e mundana, voltou-se para a vida religiosa de completa pobreza, fundando a ordem mendicante dos frades Menores, mais conhecidos como Franciscanos.

segunda-feira, 11 de março de 2019

Auto da Índia, de Gil Vicente

Auto da Índia

                                                     

Este livro de Gil Vicente intitula-se  Auto da Índia. É um livro de teatro e é a primeira farsa deste autor tal como a primeira da literatura portuguesa.
Esta farsa foi representada pela primeira vez em 1509, em Almada, perante a rainha D. Leonor. 
Este auto começa por nos apresentar a Ama, cujo marido partira numa embarcação à procura de fortuna, embarcação esta cujo retorno não era esperado. Assim, na ausência do marido, a Ama mantém relações extraconjugais com dois amantes: enquanto estava com um, o outro esperava do lado de fora da janela ou na cozinha, alternadamente. A Moça é uma personagem importante desta farsa, pois tem o papel de confidente e cúmplice de Constança (Ama): é ela quem guarda segredo das relações que a Ama mantém com outros homens e também é ela quem a avisa que a embarcação estava de regresso e que o seu marido estava vivo. Ouvindo isto, a Ama manda os seus amantes embora, apesar de contrariada. Assim, ela enche-se de  uma falsa felicidade e recebe o seu marido com enorme alegria, dizendo-lhe que, na sua ausência, sofrera tanto que nem comera e que tinha sentido imenso a sua falta. Por seu lado, o marido, que voltara sem ter alcançado a riqueza ambicionada, conta as dificuldades por que tinha passado no Oriente. E assim o casal prosseguiu a sua vida como nada tivesse acontecido.
Recomendo vivamente este livro . Talvez tenha sido o de que mais gostei até agora, devido ao seu enredo. 

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

                                                      Resultado de imagem para caim josé saramago
     
   O livro cujo título é Caim é da autoria de José Saramago. É um romance onde o autor utiliza uma linguagem satírica e irónica para ridicularizar e desrespeitar a Bíblia.
   O tema deste romance é o confronto ético-moral entre Deus e Caim, assassino de Abel, como relata a Bíblia. Este livro contém momentos históricos da Bíblia como: a criação do mundo, o pecado de Adão e Eva, a expulsão do paraíso, o sacrifício do filho por Abraão.
   Nesta obra podemos observar uma contradição no comportamento do fratricida, pois, apesar de este ter matado o seu irmão por inveja, ele questiona-se sobre o porquê das mortes de crianças inocentes e salva Isaac de ser sacrificado por seu pai.
   Gostei deste livro, pois faz-nos ver a Bíblia de uma maneira mais engraçada, devido à sátira e ao sarcasmo presentes.